Passarinho - Crystal Chan

outubro 10, 2014

TÍTULO: Passarinho 
SÉRIE: -
Autora: Crystal Chan
EDITORA: Intrínseca
ANO: 2014
PÁGINAS: 224
ISBN: 9788580575354
Sinopse: O avô de Joia parou de falar no dia em que matou o irmão dela. O menino se chamava John, e achava que tinha asas. Subia e saltava do alto de qualquer coisa, até ganhar do avô o apelido de Passarinho. Joia não teve a chance de conhecê-lo, pois Passarinho se jogou do penhasco bem no dia em que ela nasceu. Ainda assim, por muito tempo ela viveu à sombra de suas asas. Agora, aos doze anos, Joia mora em uma casa tomada por silêncio e segredos. Os pais culpam o avô pela tragédia do passado, atribuem a ele a má sorte da família. Joia tem certeza de que nunca será tão amada quanto o irmão, até que ela conhece um garoto misterioso no alto de uma árvore. Um garoto que também se chama John. O avô está convencido de que esse novo amigo é um duppy — um espírito maldoso —, mas Joia sabe que isso não é verdade. E talvez em John esteja a chave para quebrar a maldição que recaiu sobre sua família desde que Passarinho morreu.  (Skoob).
A primeira linha deste livro partiu meu coração, mas as demais conseguiram remendá-lo perfeitamente.


Passarinho é o romance de estreia de Cristal Chan. A história se passa em uma cidadezinha no estado de Iowa, Estados Unidos e gira em torno de Joia Campbell, uma garota de doze anos que vive com seus pais, seu avô e seu sofrimento mais íntimo. 

No dia em que ela nasceu, seu irmão que tinha apenas cinco anos, pulou de um penhasco acreditando que poderia voar. Desde então, seu avô nunca mais falou e Joia tem vivido com a sensação de que nunca poderá ser o filho que seu pais esperam que ela seja, isto é, ela jamais será uma substituição daquele que eles amavam tanto.

Eu me envolvi com Joia desde o momento em que ela começou a contar sua história, ela é tão solitária, honesta e desesperada pelo amor dos pais que me cativou instantaneamente. Joia nunca pode comemorar seu aniversário, já que a data é a mesma da morte do irmão. Os pais dela quase que ignoram sua presença, seu avô sempre está de mal humor, seu pai acredita que deve proteger sua família de duppies - espíritos malvados que perturbam os vivos -, ela mal recorda a última vez que sua mãe sorriu, mas mesmo em meio a esse caos, ela encontrou um modo de se encontrar sozinha: regularmente ela foge para caminhadas no penhasco e adora passar algumas horas olhando as estrelas em uma árvore próxima a sua casa. Sua vida era tão triste que eu simplesmente queria entrar nesta história e arrancá-la daquela bagunça e poder dar a ela o amor que ela merecia.

Um ponto super alto neste livro que merece ser destacado, sem sombra de dúvidas, é a forma poética e encantadora que esta história foi narrada. Eu amei poder conhecer a Joia tão intimamente e compreender a sua forma de pensar e agir. Chan soube dar voz a esta personagem e acredito que ela deveria ser tão forte em sua cabeça que simplesmente ao colocá-la no papel vieram todas as suas particularidades, como por exemplo o fato de Joia usar o seu amor por geologia até para descrever um gesto ou uma pessoa. Era tão profundo, amável e íntimo quando ela falava algo como "sempre olhava para sua pele cor de quartzo enfumaçado".

O dia a dia e as peculiaridades da família de Joia foi explorado magnificamente. É possível identificar os traços que Joia herdou de seus pais e a pesquisa feita para a introdução da cultura jamaicana. Aliás, isto me chamou muito a atenção, a música e as comidas típicas pareciam exercer um poder sobre eles e até mesmo era capaz de amenizar a crise na relação familiar.

Além disto, o mistério em torno da morte de Passarinho e o aparecimento de um garoto bem parecido com ele, foram elementos que acrescentaram ao livro um toque intrigante. Era simplesmente impossível abandonar a leitura.

Adorei ver a amizade destas crianças se desenrolar. John era o garoto que dominava o espaço e Joia a garota que sabia tudo sobre a terra. O astronauta e geólogo juntos em uma missão. Como já disse, a autora soube dar vida aos personagens, era como se eles fossem reais e estivem sussurrando suas histórias e ela uma mera "tradutora" de suas aventuras.

Ao ler a premissa, você pode achar que este é um livro extremamente triste, mas não se engane, há uma certa dose de tristeza sim, mas há, alegria, esperança, amor, amizade, desilusão, entre outros. Passarinho traz uma tempestade de sentimentos impressionante e é impossível não se cativar.

Depois que terminei a leitura eu simplesmente não conseguia me afastar da história e dos personagens, talvez esse tenha sido o motivo pelo qual demorei tanto em escrever esta resenha. Mas, o ponto é que Passarinho me absorveu de uma forma absolutamente devastadora e eu recomendo este livro a todas as pessoas que querem sair um pouco da zona de conforto sem ter que se entregar a um livro muito denso.



*Livro cedido para resenha pela editora.

Você também poderá gostar de:

2 comentários

  1. Eu me lembro desse livro comentado na turnê Intrínseca. *.*
    Ainda não tive a oportunidade, mas pelo o que eu vi aqui, certamente ainda tentarei lê-lo em algum momento e espero me encantar com a Joia também. ^^

    Bjs Ana! o/
    Camilinha.

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro, mas a historia me chamou a atenção parece ser sensível, dramática e envolvente <3 Adorei a resenha.

    Visite o blog "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir

Facebook

Twitter