Na Companhia das Estrelas - Peter Heller

maio 07, 2014

TÍTULO: Na Companhia das Estrelas
SÉRIE: -
AUTOR: Peter Heller
EDITORA: Novo Conceito
ANO: 2013
PÁGINAS: 408
ISBN: 9788581632346

Sinopse: Em um mundo devastado pela doença, Hig conseguiu escapar à gripe que matou todo mundo que ele conhecia. Sua esposa e seus amigos estão mortos, e ele sobrevive no hangar de um pequeno aeroporto abandonado com seu cachorro, Jasper, e um único vizinho, que odeia a humanidade, ou o que restou dela.
Mas Hig não perde as esperanças. Enquanto sobrevoa a cidade em um avião dos anos 1950, ele sonha com a vida que poderia ter vivido não fosse pela fatalidade que dizimou todos que amava. Hig é um guerreiro sonhador. E tem uma imensa vontade de gente, apesar da desilusão que se abateu sobre ele. Por isso é capaz de arriscar todo seu futuro quando, um dia, o rádio de seu avião capta uma mensagem...
Voe com Hig e Jasper e se encante ao descobrir que um mundo melhor pode estar em cada um de nós.   (Skoob).

Um desastre natural, a luta pela sobrevivência e a dor constante das perdas. É desta forma que mergulhamos na cabeça de Hig e o acompanhamos em uma trajetória confusa, mas sobretudo, humana.


Hig é um excelente piloto e sobrevivente de uma epidemia de gripe que praticamente acabou com a humanidade. Ele vive com seu amado cachorro, Jasper, e tem como amigo, seu único vizinho, Bangley. Os três moram próximo a um aeroporto o que facilita a vida de Hig, já que assim ele pode se dedicar a algo que sempre gostou, voar. 

Neste voos diários, Hig tenta de toda a forma possível encontrar sobreviventes que não apresentam a gripe. Bangley e ele vivem discutindo acerca desta vontade louca que o Hig sente de deixar o local onde eles vivem em busca do inesperado.

Quando li a sinopse deste livro, fiquei bem intrigada e imaginei que estaria diante de uma super aventura cheia de drama e suspense, mas infelizmente eu estava bem enganada. Na Companhia das Estrelas não é um relato eletrizante de sobrevivência, na verdade ele é bem parado e cansativo, o que dificultou e muito a leitura. Porém, devo falar que o autor buscou abordar o tema com uma profundidade inacreditável. Enquanto lia, era fácil me colocar diante das situações e até mesmo imaginar que tomaria decisões bem próximas daquelas que os personagens apresentaram.

O livro é narrado em primeira pessoa, pela perspectiva de Hig, mas não é uma narração simples, como estamos acostumados em ver por aí. Neste livro, não há diálogos diretos, ou seja, não há travessões ou aspas para marcá-los, é como se estivéssemos mesmo dentro da cabeça do personagem principal (meio complicado explicar isto).

E por falar em personagens, eles foram muito bem desenvolvidos e é possível entender suas atitudes conforme Hig nos mostra as lembranças do seu passado ou do passado de outro personagem. Não cai de amores pelo Hig, mas devo dizer que  que ele é um ser humano incrível, chega a ser invejável e até mesmo compreensível que ele esteja apenas no papel. Já Bangley, o vizinho chato que parece estar ali só para torrar a paciência de Hig, roubou meu coração desde o comecinho - acho até que teria adorado o livro se ele fosse o narrador.

Enfim, no todo, senti que Peter Heller escreveu este livro de uma forma bem poética e filosófica, amarrando ao desfecho principal questões bem complexas e até mesmo de difícil compreensão. Então, se você está buscando uma leitura um pouco mais densa neste sentido, Na Companhia das Estrelas é o livro perfeito para você.

Aproveite, divirta-se e até mais!

Você também poderá gostar de:

0 comentários

Facebook

Twitter